Há algumas semanas impedi que minha amicíssima amiga Dayany Matos levasse um calote de muitas centenas de reais no Mercado Livre. A dica para evitá-lo é fundamentalmente simples: basta verificar se o pagamento recebido foi aprovado antes de enviar o produto e ter um pouquinho de malícia para identificar o golpe antes de se tornar a próxima vítima. Tudo começou com o anúncio de uma câmera fotográfica qual recebeu uma oferta em pouquíssimo tempo, sem nenhum contato prévio do “comprador”. Até aí tudo bem, uma vez que isso seria perfeitamente possível. O estranho foi quando os contatos via e-mail foram estabelecidos.

O primeiro e-mail parece legítimo, veja só:

Porém, ao mesmo tempo que o Mercado Livre justifica o envio de e-mails utilizando seu sistema interno de mensagens, de forma a aumentar a segurança das transações, isto pode ser utilizado para favorecer o golpista. Bastou alterar o nome de cadastro no site para “Mercado Livre” e foi possível enviar uma mensagem como se fosse o próprio site, inclusive beneficiando-se do mascaramento do endereço, pois o e-mail agora foi enviado por [email protected] É incrível como uma empresa enorme, dona de um negócio milionário, possa deixar passar uma coisa absurda dessas. Não é nem necessário citar o quão anormal é o “comprador” depositar R$ 100,00 de frete sem ter consultado o valor do mesmo, além do fato de não existir esta regra dos “3 dias para confirmar o envio do produto”.

O segundo e-mail é realmente legítimo e se trata do Mercado Livre confirmando que alguém clicou no botão “comprar” do anúncio:

E o terceiro, bem, é um verdadeiro samba do crioulo doido:

Montada nos mesmos moldes da primeira mensagem, aqui o mais engraçado é que o título e o conteúdo da mensagem se divergem. Um diz que o pagamento foi aprovado, mas o outro não diz sequer como ou qual foi o valor, além de simplesmente explicar como o Mercado Pago funciona. O mais engraçado, é que essa explicação parece ter sido copiada de um anúncio de venda de outro produto, pois fala sobre como efetuar o pagamento sem utilizar o Mercado Pago. Confirmando a suspeita, a afirmação “na conta indicada por nós” não deixa nenhuma dúvida quanto a isto.

O quarto e último e-mail se trata apenas do “comprador” pedindo urgência no envio e expondo seu endereço, que muito provavelmente também é falso (nada o impede de receber a entrega na agência mais próxima dos Correios). Neste momento, tudo que ele fez foi alterar o nome do cadastro, mudando o “Mercado Livre” para um nome próprio qualquer antes de enviar a mensagem:

Creio que a melhor forma para não cair nos golpes destes estelionatários é fazer algumas simples para si mesmo, como: é normal para um comprador depositar o frete sem perguntar o valor? Por que ele quer tanto que eu envie o produto antes mesmo do Mercado Pago confirmar o pagamento no site (e não via e-mail)? Por que os e-mails vieram como mensagens no site e não foram enviados diretamente? Além do mais, os e-mails vindos de [email protected] não são os mesmos enviados por [email protected]

Com isto, podemos ver que de nada adianta confiar cegamente nos mecanismos de segurança implementados, uma vez que estes podem até mesmo ajudar quem tentar aplicar um golpe. Também não podemos acreditar na palavra de um desconhecido qualquer, com aquela sensação de que “essas coisas só acontecem com os outros”. Na internet, assim como na vida, vale a desconfiança qual (infelizmente) estamos acostumados a vivenciar no dia a dia. Qualquer um pode ser um malfeitor e você sempre pode ser a próxima vítima.