Myhro Blog

A verdade sobre o Software Livre

Quando eu tinha 12 anos acreditava que o Linux e FOSS em geral seriam a salvação da humanidade. Músicas como a ”The Free Software Song” (letra) podem soar muito bem na teoria, como se ninguém precisasse de dinheiro e todos nos alimentássemos de ideologias.

Com o passar dos anos esta minha concepção mudou. É realmente incrível como projetos monstruosos e de altíssima qualidade como o Debian com suas mais de 10 arquiteturas suportadas e mais de 29 mil pacotes podem ser distribuídos de maneira completamente livre e gratuita. Mas notícias como: ”75% do código do Linux atual é escrito por desenvolvedores pagos para isso” não são nenhuma surpresa. Empresas que estão entre as maiores do mundo tem ferramentas (muitas delas pagas) rodando sobre o Linux. Logo, é natural que elas queiram seus produtos rodando da maneira mais confiável possível.

É evidente que muita coisa hoje em dia não existiria se não fosse o Software Livre. O documentário ”Revolution OS” (2001) fala muito bem sobre a importância do Linux e do Apache no crescimento da internet durante os anos 90. O Linux venceu em muitas frentes, mas felizmente ou infelizmente o desktop não foi uma delas. É por isso que muitas pessoas torcem o nariz quando você as pergunta sobre Linux. Elas podem nunca ter tido contato direto com o sistema, mas com certeza o utilizam indiretamente todos os dias.

Ferramentas livres fazem parte do meu cotidiano e realmente não sei o que seria de mim sem muitas delas (Apache, Firefox, KeePass, OpenSSH, Squid são só alguns exemplos). Sou eternamente grato à muitos destes softwares livres, mas isto não significa necessariamente que eu tenho de dedicar minha vida tentando convencer outras pessoas a utilizá-los (o que seria uma espécie de retribuição, como alguns pensam - e mesmo muitas delas os utilizam sem saber).

Atualmente, meu objetivo é substituir completamente o uso do MATLAB por Python em conjunto com bibliotecas livres como matplotlib, Numpy e SciPy no CompuNAT. Isso significa que elas são melhores que o (ou mesmo equivalentes ao) software proprietário? Não, mas talvez pra nossa finalidade elas sejam exatamente o que precisamos. Assim como nosso objetivo final não é criar Software Livre, ao mesmo tempo isto não significa que não podemos desenvolver as ferramentas quais necessitarmos e depois (quando prontas) distribuí-las livremente. Por isso acredito que FOSS seja o meio e não o fim.

O Software Livre não veio ao mundo para nos livrar de todo o mal, mas para ser útil onde sua implementação supra perfeitamente as necessidades. Afinal de contas, você não vai deixar ideologia ser mais importante do que a resolução de muitas dores de cabeça, vai?